segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Por favor, nos devolvam os monstros...



Vejo com certa preocupação esses tempos. Hoje quando vamos ao cinema encontramos cartazes que estampam vampiros galãs e desejamos de certo modo sermos como eles... Bonitos, charmosos e eternos... Se nós (adultos) por vezes desejamos, como será que reagem as crianças quando assistem tais filmes?

Há alguns anos atrás, foram os Monstros S.A., depois vieram às bruxas boazinhas que enfeitiçavam para o bem, e após elas veio uma onda de magia surpreendente. Agora observamos a proliferação de vampiros encantadores. Minha crítica não é contra o gênero... Acredito na expressão da arte e a divulgação da mesma - minha preocupação reside em quem assiste. A maioria dos amigos que lêem o blog são adultos e  maduros para lidar com isso tudo, mas não posso dizer a mesma coisa das crianças.

Temos privado a nossa geração do medo, dos temores e do fantasioso que propiciará a elas uma internalização "adaptativa" do bem e o mal - e a partir dessa sutil distinção, a compreensão do certo e do errado – daí a gênese dos valores mais complexos como a ética e moral. As crianças hoje em dia, não têm uma definição das figuras do mal... Entenda-se aqui, como as figuras clássicas: o monstro, o lobo, lobisomens, vampiros, bruxas... A morte. As crianças têm sido iludidas a desejar papéis controversos. Observamos no Rio de Janeiro, nessas últimas semanas, a polícia invadindo os morros e reconquistando territórios. Neste momento as crianças já querem ser policiais, outrora isso não se observava - elas queriam ser "donos de morro" -  queriam ser bandidos! Esse recorte mostra como os pequeninos são vulneráveis.

Esquecemos a pedagogia do medo... Não digo que devemos espancar as crianças, torturar, nada disso! Existem estágios do desenvolvimento e a partir deles vivenciamos a dor da morte e a angústia da separação... Todos passamos por isso – elaborando o medo através da fantasia. Hoje os pais não lêem  mais livros para os filhos. Na verdade muitos têm sido negligentes e assim por ingenuidade pensam que ao mostrar filmes de seres mágicos, estarão permitindo algo bom. Da mesma forma que acreditam “piamente” que joguinhos de lanhouse são inofensivos! Existe muito mais nos filmes, nos desenhos... Não quero entrar num enfoque espiritualístico, nada disso! Digo o que compreendo – o mundo simbólico é algo sério e desde nosso desenvolvimento como seres humanos, ele foi indispensável para a construção do mundo interno e da sociedade. Será que alterar a ordem das coisas não repercutirá de alguma forma? Penso que sim...

Crescemos ouvindo histórias e estórias e nelas residia: o bicho papão, o homem do saco e etc.  De alguma forma esses seres fantasiosos e reais, nos permitiram compreender que existiam criaturas para serem temidas e assim na nossa inocência - relacionamos "o fazer certo" como proteção. O medo faz parte do rito humano - os gregos com suas mitologias  já buscavam incutir a idéia de se respeitar os deuses, pois do contrário você poderia ser castigado, por exemplo, Prometeu que tinha o fígado devorado todo o dia (observamos aqui uma perspectiva de reparação - não de morte, pois o fígado se regenera – assim a mensagem pode ser interpretada assim: o erro pode impelir em morte, mas o castigo não).

Desejo filmes verdadeiros... Quero ver a face do mal ser estampada de verdade! Quero ver vampiros bonitos, mas que cumpram seu papel e assim, matem, chupem o sangue... Quero ver lobisomens que despedaçam suas vítimas e também quero que os lobos tragam o medo enigmático dos homens... Quero na fantasia o tal “preto no branco”, porque no mundo real isso não existe. No mundo real os lobos que matam, são homens e pais de família; os vampiros não têm medo da luz e se escondem em Brasília. – as coisas são multicoloridas... Mas para compreender isso, se faz necessário à existência de estágios. Se nós, adultos nos enganamos, como acreditar que as crianças não?

Precisamos dos monstros da fantasia... Na verdade eles nos constituem! Infelizmente vivemos um antagonismo. Na Internet, pedófilos seduzem as crianças - as mesmas que foram enganadas pela idéia de que o mal pode ser bom. Nas ruas adolescentes se drogam - quem sabe iludidos por um pensamento de que problemas podem desaparecer por passe de mágica!

Quero monstros de verdade! Quero que eles apareçam de “cara limpa” - para que os pequenos possam viver seus ritos e para que nós possamos confortá-los e estabelecer laços que são perdidos a todo instante. Desejo que nossas crianças voltem a compreender que devem andar pela estrada e jamais pegar atalhos, pois existe sim um lobo mau... Como podemos esperar isso delas se difundimos uma idéia perigosa de pseudo-heróis? Os pequenos precisam da fantasia para o entendimento de que o sorriso bonito pode esconder na verdade, o traiçoeiro beijo da morte...


TEXTO: Rockson Costa Pessoa
IMAGEM: cyberdiet.terra.com.br/

33 comentários:

Ana SS disse...

Ótimo o texto!

E agora, censuraram Monteiro Lobato...tsc, tsc...

Marcio JR disse...

Olá, Rockson.

Monstros dão lucro. Monstros estilizados e voltados para o bem, dão muito mais lucro. É como você falou. Inibe-se a formação da distinção de perigo, pois a criança fica sem parâmetros, por mais que sejam fantasiosos.

Agora, quanto ao bicho-papão, o velho do saco, o lobo-mal, esses coitados, depois que inventaram o tal do "politicamente correto", perderam a vez. Mas, se ligarmos para o politicamente correto, não poderemos fazer ou falar mais nada.

Só uma correção no seu texto. Os vampiros não se escondem em Brasília. Eles saem abertamente, e na maior cara de pau... rsrs.

Fugindo um pouco do contexto, você me fez lembrar de uma indagação que sempre fiz. Na série Power Rangers, os mocinhos, para conter os vilões, basicamente destruíam toda a cidade. O que pensa uma criança quando vê isso? Que vale qualquer coisa por um fim? Que a força está acima de tudo?

Abraços, Rockson. Excelente crônica, como de hábito.

Marcio

Kellen disse...

Mais um de seus belos textos...
O mundo está estranho. Como poderemos explicar às crianças? Bem e mal perderam o sentido, usam máscaras e acabam parecendo o que não são.
bj

Luna Sanchez disse...

Concordo que desmistificar o medo no entendimento das crianças é uma atitude cruel porque destrói parâmetros, ou melhor dizendo, impede sua construção.

Gosto de te ler e poder enxergar o mundo pelo teu olhar, viu, guri? Aprendo aqui contigo. =)

Um beijo.

ℓυηα

Heat disse...

Quando eu era criança eu ia na videolocadora com o meu pai, e eu ficava olhando os cartazes de monstros, vampiros e lobisomens em especial. Meu pai perguntava o que eu tanto olhava, eu falava que estava a admirar os dentes deles, tao brancos e taaao pontiagudos. que mesmo que fosse maus, eram bonitos.

eu tinha uns 5 anos.

é, ainda me acho esquisita.

=P

Juliana. disse...

Cada um,dentro de si, tem um monstro..que os monstros sejam acalmados..e o medo transformado em coragem!
Um abraço meu amigo Rockson!

Juliana

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Ana SS,

Pois não é guria... Talvez quisessem passar purpirina no Saci!
Bjkss

Olá Márcio,

Você tem razão... Eles estão soltos e já querem aumento!Risos.
Interessante essa tua observação sobre os Power Rangers - nunca havia dado a real importância... Vai render texto!
Abraço meu amigo.

Oi Kellen,

Faço das palavras do Márcio as minhas: Tá tudo politicamente correto! Daqui a pouco vão dizer que as crianças são culpadas pela pedofilia...
Bjss

Oi Tartaruguinha...

Obrigado pelo elogio minha amiga... = )
A recíproca é verdadeira...
BJkss

Oi Heat,

Quanto tempo...
Pra te ver né?! Imagina agora que os vampiros são admirados! Perigooooo
Bjkss

Oi Juliana,

Diria assim:
Que nossos monstros sejam elaborados.
Coragem é sempre bom mesmo!
Bjkss

T. Tindarsam disse...

Adorei o texto. Precisamos mesmo ressuscitar os velhos monstros. Estamos em uma nova e perigosa era, onde o mal não é tão mal, e o bem pode ser mal. Isso me confunde. Mas de fato talvez seja a exteriorização da própria humanidade, sobre o que é mal e bom. Na verdade as pessoas são movidas por seus próprios interesses, por isso, as vezes, são monstros ou mocinhos. Belo texto o seu! Vamos publicar isso em um livro amigão! abraços

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Tarsis,

Bahhh vamos publicar!!
Abraço meu amigo

Viviane Peres disse...

Muito bom. Assino em baixo.
Adorei o blog, já estou seguindo.

abraços.

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Vivi,

Prazer tê-la aqui... Volte sempre!
Bjkss

Camila disse...

Esse mundo ta de pernas pro ar,e isso me assusta.

Pamella Medeiros disse...

Olá, Rockson.
Vim agradecer a visita,
seja bem-vindo.

Sigo-te também ♥

Beijo.

Rockson Pessoa disse...

Oi Camila,

Mas não adianta ter medo - necessitamos de coragem para encarar os fatos!
Bjks

Oi Pamela,

Prazer é meu... Volte sempre
Bjkss

♪ Nαdine. disse...

Obrigada por me seguir,
estou te seguindo também,
beijos =*

Rockson Pessoa disse...

Oi Nárdine,

Bem vinda!
Bjkss

' Jéssica Sabbatini :* disse...

obrigada mesmo pelo comentário!
adorei o seu blog e seus posts.

te sigo também,beijos!

Cogu Cogumelo disse...

É essa estranha aura de mistério que se esconde por trás dos famosos contos de fada.

Tem opoder de atrair e enganar, fazer nós parecermos à eles, é misterioso.

São os contos de fadas entrando no imaginário popular, fazendoi a mente de crianças e adultos.

Abraços.

Carolina disse...

mudar é sempre possível, eu concordo! e nós somos seres adaptáveis! mas isso leva tempo, enquanto isso a ferida sangra e dói! =/

Rockson Pessoa disse...

Oi Jéssica,

Prazer tê-la aqui!
Bjkss

Oi Cogumelo,

Sãos os mistérios dos HOMENS!
Bjkss

Oi Carolina,

É estancar a ferida...
Bjkss

Camila disse...

Gosto do jeito que você expressa teu ponto de vista, e concordo: realmente os filmes camuflam tudo o que há de mal de iludem as crianças!
Bjs ;*

Rockson Pessoa disse...

Oi Camila,

Grato pelo carinho...
Tarefa difícil a nossa para dismistificar os pseudomonstros
Bjss

Elaine C. Melo disse...

oi amigo tudo bem? É realmente distorcem muito a versão dos personagens e isso acho que tem dado um "nózinho" na cabeça das nossas crianças, na real acho que até de alguns adultos tbm....rsrsr....fazer o que né....eu não sou adepta desses gêneros novos, prefiro o bom e velho drácula que sugava sangue e era visto como homem branquelo e mau e não um vampiro bonitinho, naturalmente branco que faz as mocinhas se apaixonarem....masss gosto é gosto né....fazer o que...rsrs...bjosss amigo e passa por lá ok!

Brenda Gomes disse...

Excelente ponto de vista e a maneira como foi colocado. Bem, talvez eu tenha caído na armadilha porque realmente acho lindo o romance que envolve esses dois personagem ficticios de crepúsculo, mas entendo que seja necessário a presença do bem e do mal como reflexo da realidade em que vivemos. É preciso incutir na mente daqueles que assistem que existe sim os dois lados e que assim como há o perigo, a consequência, há também o mérito por ter agido de forma correta. Adoro suas reflexões, continue compartilhando-as conosco porque estou sempre por aqui lendo.
Bjs

Lucas Albrecht disse...

Obrigado pela vistia e pelo comentário pertinente, Rockson!

Paz para você também!

Pastor Lucas Albrecht

Vanessa Souza Moraes disse...

Novas versões do bicho-papão.

palavrasdeumnovomundo disse...

Puxa! Quantos comentários! Mas também com um texto desse nível só poderia ser assim mesmo.Rockson, moro em campinas/sp, sou Pedagoga e pós graduada em psicopedagogia e gestão escolar, sou professora dos anos iniciais do ens.fund. na rede pública ou seja, adoro a área da Educação, entretanto devo te dizer uma velha novidade: está muito difícil lecionar! Tudo o que vc disse no texto s/ as cças é fato e tem muito mais que eu poderia acrescentar, enfim, daria um livro se unirmos nossos penstos, ou vários (risos), mas o fato principal que me assusta é a ausência total de valores éticos/morais/religiosos com a cumplicidade da família que se absteve de vez desse papel e repassou para a escola. Como diz Antonio Nóvoa (Dr. em educação de Lisboa) "o que a sociedade não dá conta de realizar...transfere-se para a escola" e uma sociedade doente só pode ter uma escola doente. É muito triste, penso muito em tudo isso, queria poder revolucionar a educação, mas quem sou eu pra fazer algo sozinha? Bem, deixa eu parar de escrever pq senão a coisa vai longe.
Descobri seu blog por acaso, estou te seguindo e te espero no meu tbém, mas é de iniciante/amadora precisando de contribuições, sugestões, comentários que possa enriquecê-lo e vc será fundamental.
Parabéns e fique em paz! Rosa

palavrasdeumnovomundo disse...

Ah..se me autorizar talvez utilize seu texto, com as devidas referências, em meu blog.

Cleice Souza disse...

Opa! Obrigada pela visita, pelo comentário.
Volte sempre que desejar.
Farei o mesmo por aqui.

nos encontramos,
abraço!

Rockson Pessoa disse...

Oi Elaine,

Também sinto falta...
Bjkss

Oi Brenda,

Devemos permitir uma educação... Nada mais!
Bjkss

Oi Pr Lucas,

Grato pela visita!
Abraço

Oi Vanessa,

Verdade... Monstros modernos!
Bjkss

Oi Rosa,

Grato pela tua contribuição e que contribuição hein?! Tú És mestre... Já sigo aprendendo. Obrigado por me seguir!
Bjkss
Ahh.. É um prazer compartilhar meus textos.

Oi Cleice,

Grato!
Bjkss

camila souza. disse...

obrigado (:

Lau Milesi disse...

Ex-ce-len-te!
Uma expressão me chamou a atenção " pedagogia do medo". Ela funciona. Principalmente fazendo-se uso do poderoso instrumento de comunicação, que é a palavra. Não funciona a do castigo físico.É contraproducente.
E faço coro com você,quanto à necessidade dos montros. Precisamos,sim, de monstros que passem o que eles são capazes de fazer.E precisamos ver que eles são punidos.
O que ,lamentavelmente, não vemos em relação a "alguns" monstros que habitam/habitaram o planalto central.
Um belo tema para discussão.Pena o pouco espaço e o tempo(pouco, tb) Parabéns!


Uma Noite de Natal de paz, alegria e harmonia, é que desejo a você a todos da sua família.

Beijocas, Rockson.

Rockson Pessoa disse...

Oi Camila!

De nada guria...
Bjkss

Oi Lau,

Agradeço o apoio... Bahh! Nem me lembre desses monstros pavorosos!Risos.
Feliz Natal pra você também minha querida...
Bjksss e Boas Festas