segunda-feira, 21 de novembro de 2011

As novas balas perdidas


Com o desenvolvimento das sociedades e o esgotamento das vias urbanas, que se transformaram em redutos de procrastinação, nos deparamos com o vezo do descontentamento e estresse. Sim, só nos resta aprimorar os recursos tecnológicos que atenuem o caos do trânsito nas grandes cidades e então nossos carros ou se transformam em um espaço zen, pela utilização de músicas instrumentais, ou se torna um cinema improvisado com a ajuda de DVDs diversos.

 Na contramão de tudo isso, observamos o empenho engenhoso das indústrias automobilísticas, que cada vez mais nos surpreendem com seus carros econômicos e velozes. Se por um lado a sociedade nos diz que o espaço é reduzido, por outro viés encontramos carros superpotentes. Carros que outrora significam luxo de muitos poucos, mas que hoje são acessíveis a quem poder pagar mais e hoje se pode isso. A crítica não é a acessibilidade aos carros de luxo, a preocupação resulta nessa desproporcionalidade. Disse-se que não há mais espaços nas vias públicas, por que então criamos carros cada vez mais velozes? Onde se encontra o sentindo disso. Do lado das montadoras a resposta padrão é a aquela que afirma que tais carros foram feitos para estradas e vias rápidas. Porém, nesse polêmico bolo social, ainda temos mais um ingrediente - o álcool. E então tudo se torna muito mais fatal.

Nos últimos anos temos acompanhado um crescimento vertiginoso em mortes no trânsito. Se por um lado as pesquisas apontam que os acidentes diminuíram, por outro observamos que nesse mínimo se constata um aumento dos óbitos no trânsito. Nos últimos meses, observamos carros superpotentes dizimando famílias e tolhendo os sonhos de pais que hoje choram perdas absurdas. Hoje mais uma adolescente de 16 anos atropelou 05 pessoas inocentes. Onde iremos chegar assim? Se outrora a mídia relatava o tal fenômeno das balas perdidas, hoje temos essas novas balas, esses objetos de metal que tem um poder destrutivo imensurável. 

O Brasil ainda fecha os olhos para tudo... Infelizmente a maioria dos crimes no trânsito é considerada culposa e por fim, cabe pagar a bagatela por uma ou duas vidas. A verdade é que somos vulneráveis nesse trânsito absurdo. Temos que dirigir por nós, pelo motoqueiro desafortunado, pelo motorista embriagado e pelos pedestres suicidas. Pra mim tudo isso se resume em falta. Ou nos falta leis mais duras, ou nos falte mais olhos na cara, para sobreviver nesse trânsito perverso




TEXTO: Rockson Pessoa
IMAGEM: http://agenciabrasil.ebc.com.br

8 comentários:

Luna Sanchez disse...

Só na semana que passou, três conhecidos foram vítimas do trânsito. Ainda estou chocada e triste.

Beijos, moço.

Rockson Pessoa disse...

Oi Luna,

Gosto de relembrar um comentário: por detrás das estatísticas existem pessoas, que infelizmente, podem ser conhecidos e amigos queridos.

Bjoo tartaruguinha!!

Juliana Matos. disse...

É muita realidade fria
cansada de sofrer e ser vítima!

Um abraço
Ju

estrela disse...

Olá amigo!!!
Acho que hj em dia, as pessoas estão sem paciência, sem educação, enfim...
Não respeitam ninguém mais, ai abrimos os jornais, ou ouvimos, cada dia uma morte de forma triste e lamentável!!!
O mais triste q por vezes sempre alguém conhece aquele alguém...
Bjs

Anônimo disse...

Gostei mesmo do texto .Revela um lado mais focado com o todo e a sociedade em si ;não que os sentimentos próprios sejam menores mas somos parte desta sociedade desumana e se existe indignação é sinal que :Não somos iguais, pois nos permitimos pensar de outra ;forma e querer uma sociedade melhor.

Rockson Pessoa disse...

Oi Ju,

Fria e sem perspectivas!
Bom rever-te Ju!!

Rockson Pessoa disse...

Oi Estrela,

Bom re rever minha amiga, concordo contigo, as pessoas perderam o seu real valor.

Oi Amigo,


Grande prazer em ter-te no meu espaço e é isso mesmo, tudo tem pedido discernimento, mas cadê?
Abraço

Diva L. disse...

Mais um ano se vai, e um novo desponta repleto de possibilidades. Obrigada pela presença, respeito, amizade, apoio e, principalmente, pelo compartilhar de ideias.

Feliz Sonho Novo!
Beijo grande e abraço na alma.
Diva L.
//salto15vermelho.blogspot.com