quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Sementes terrenas e eternas confabulações


Já faz mais de uma semana que não escrevo no blog e em meio a esses recessos de Julho me vejo sem o computador para escrever, mas a vida não para e sigo confabulando acerca das pessoas, "coisas" e coisas. Daí anoto em um pedaço de papel e transcrevo depois. Chamo isso de modernidade com retoques de romantismo.

Nessas últimas semanas estive entretido com uma horta. Isso mesmo - uma horta! É bom ter contato com a terra, diria que é revigorante e terapêutico. E nessa interação de sementes, terra e "mãos sujas" me permito fazer "filosofia barata". Fazer o quê? Minha mente é terra fértil!

Em outra postagem já havia dito que de certa maneira somos tartarugas(http://rocksonpessoa.blogspot.com/2010/07/fantasia-praias-e-tartarugas-marinhas.html). Logo dizer somos "sementinhas" soaria ridículo, repetitivo e seria coerente deduzir uma ligeira falta de criatividade do autor. Mas como disse minha mente é fértil e não quero cometer tal erro.

Como já disse acima estive de recesso! Pausa imposta, involuntária e real. E nesse percurso, cá estive eu como uma esponja sedenta. Absorvendo as notícias, as futilidades e tudo que pode "ingerir" por meio de mídia diversa. Assim era Eu esponja colocando o polegar na terra. Um ser pensante semeando em terra adubada. E quantas sementes germiram nesse cerébro... Muitas e assim vou sendo árvore em terra de planta abandonada. Água por favor...

Se de maneira figurada somos tartarugas, enterrando ovos (sementes em dados períodos), na vida real somos pessoas que semeamos e acabamos por colher também. Em atitudes, gestos e ações. Um processo consciente e inconsciente. Mas não vamos falar de pulsão de morte... Vai que minhas sementes se assustam e daí teimem em nascer / brotar. É tudo pulsão de vida, a horta é minha, o texto é meu... Posso escolher as pulsões que assim desejar.

Já disse que plantei salsa portuguesa? Bom isso não vem ao caso, mas é que salsa é algo que uso em quase tudo na cozinha... Voltando ao raciocínio dessa esponja com polegar. Vivemos em um eterno semear. As vezes planejado, outras acidental. Me perdoe a expressão, mas vivemos "metendo o dedo" e o "bedelho" nas coisas e deixamos digitais nos objetos, corpo e na alma das pessoas... Ficam vestígios e assim como passarinhos desafortunados acabamos por semear sem o intento - sem o desejo.

Nessas semanas de "ingestão" televisiva. Vi colheitas planejadas e premeditadas. Assim pessoas morreram e outras se tornaram assassinas, ou quem sabe assassinas já eram. Tudo por causa de desejos ignomínios e lascivos. "Dedinhos" mais que sujos. É sempre uma impressão de tudo e todos. Impressão que se tem e que se vê. Dedos aleatórios e perdidos que no acaso das coisas vão deixando marcas e permitindo a mágica da vida e o drama da morte.
Lançamos sementes em todo tempo. De maneira [desejosa] e de maneira [culposa]. Algumas Sementes germinam e outras não. Há sempre idéias que não podem nascer. Pensamentos que não encontram espaço e são suprimidos por realidade, por contexto e tempo. As sementes que nascem, são aquelas que em meio ao acaso e espera, encontraram a necessidade de aqui estar.
Não posso fugir do Todestrieb (instinto de morte)...
Tudo acaba, logo como fugir da pulsão de morte?! Vida e morte são sinônimos. O que difere é tempo e lugar.

Dedos, terra e sementes... Somos e fazemos parte desse rito de plantar para sempre colher. Mundo de desejos e astenia.


25 comentários:

Sil.. disse...

Eu estava com muita saudade das suas reflexões, cheias de sabedoria.
Grande verdade seu texto.

Que bom que voltou.

Um abraço meu!

Thaty disse...

Exatamente o que difere um do outro é o tempo e o lugar.

Tb adoro mexer com terra mais na vida louca que estou vivendo não tenho muito tempo.

Gosto muito do que vc escreve.

Grande Beijo
Thaty
Pedaços do Cotidiano

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Sil!

A saudade é recíproca... E o bonsai? Comprou ou não?

Bjao

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Tathy,

Quando brotar algo legal na horta te ofertarei em palavras...

Um beijãoo

"Liss" Six disse...

Me lembrei da parabola das sementinhas que o semeador ia colocando em vários lugares diferentes, uma botrava e as outras não...
Gostei do texto, os posts aqui são ótimos!
Abração

Déborah Simões disse...

Oi querido...
Você pode criar um twitter seu e participar da promoção...
bjok

Andréa Silveira disse...

Haha.. faça assim, assista ao filme Frida Kahlo com a Salma Hayek, vc já conhecerá mto sobre Frida. Abraços!

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Liss,

É verdade... Tinha me esquecido da parábola. Bom te ver aqui!
Bjooo.

Oi Débora,

Vou pensar a respeito...
Bjoo.

Oi Andrea,

Eu já assisti ao filme! Mas confesso que me fez entender mais sobre a personalidade dela!
Bjoo

Pelos caminhos da vida. disse...

Obrigado pela sua visita.

Mexer na terra é tudo de bom.

beijooo.

Heat disse...

Oi.

Que bom que voltou!!


:)

Ana SS disse...

Morte e vida como sinônimos?
Isso dá uma bela discussão....
rs

Simplesmente eu... disse...

Que bom ler-te de novo.
A salsa portuguesa é óptima para o sangue e pode ser utilizada em todo o tipo de pratos, desde saladas a sopas. Falta agora plantares coentros e hortelã :)

Adorei o texto, profundo, com alma.

Beijo de Portugal

Kellen disse...

Já estávamos nos sentindo órfãos de suas palavras.
Bom retorno!
bj

Eraldo Paulino disse...

Costumo dizer que clichê é um estado de espírito. Nós vivemos a maioria das situações de forma repetida e o que pode tornar a vida original é o nosso próprio espírito original

Você conseguiu fazer isso. De fato, não achei o título original, mas você provou que mesmo em situações repetitivas a criatividade e a inteligência podem da o ar da novidade.

Abraço!

Anônimo disse...

Oiiiiiiiiiiiii continuo lendo e lembrando das velhas e novas histórias ............. bjs sds

Anônimo disse...

putz não sei anda como aparecer .......
Ane Louise

Ana Cecília Moura disse...

"Sementinhas", excelente metáfora para as mentes férteis... rs rs

Tb tento aliar a modernidade aos elementos do "passado". Tecnologia demais às vezes cansa...

Adorei o final do seu texto. Assino embaixo.

Juliana. disse...

Sim, fazemos parte deste mundo, cheio de sentidos, sementes e de filosofias como a modernidade..e nele vivemos!
Um abraço da Ju
Bom fim de semana..
reflexiva postagem!

Ana Cecília Moura disse...

Acabei de ler seu comentário da semana passada em meu blog, em que reclamavas do encéfalo dolorido... rs
É o mal (?) dos seres pensantes, meu caro. Melhor que ter os bíceps trabalhados. rs

Salete Cattae disse...

"...cá estive eu como uma esponja sedenta."

Dizem que os bebês são assim, então suas sementes estão longe de morrer!

Ótimo domingo para vc.

Bjs

Betha Mendes disse...

"Assim era Eu esponja colocando o polegar na terra..."

Que bom ser uma semente. Adoro esta palavra: "semente". Pelo seu significado, pela sua estética, pela sua enorme fonte de inspiação.
Sem dúvida, uma crônica-semente, que nos multiplica e engrandece. Parabéns!
( Repeti o comentário, pois havia postado num outro lugar ).

Um abç

Betha

gabyshiffer disse...

Vim te desejar bom dia!
:)
"Se dores eu sofri,
maiores elas teriam sido
sem a sua presença.
Se em pedras muitas vezes
eu tropeço e caio,
lembro-me que foi você
quem ensinou-me a levantar.
Se olho para o futuro e sinto medo,
ele se vai assim que eu recorro à fé
que você plantou em mim.

Agradeço a Deus
por ter escolhido você
para orientar os meus passos.
Foi com você que aprendi
que quando a jornada torna-se difícil
Ele nos toma nos braços.

Obrigada, Pai! "
Silvia Schmidt

Beijos na alma!

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Sabe, tenho achado viver explendoroso de sexta pra cá.

Descobri recentemente que há várias vias de se encontrar um amor. Victor Hugo, tinha razão:
"Morrer de amor, é viver dele."

Abra a porta do seu coração.
A chave está na fechadura.

Te fortaleço.
Me fortaleces.

Crônicas do Cotidiano disse...

Um agradecimento como em ABRAÇO GRUPAL!


Abraço com carinho: Ana ( Pelos caminhos da vida), A Heat amiga romantica, A amiga de Portugal (Simplesmente Eu), Minha amiga Ane louise Primeira leitora do blog... A amiga Kellen que nos vê de dentro sempre. O Amigo Paulino com suas Paulinises. A amiga e colega Ana Cecília... A amiga e analista pontual Ana S! A amiga poeta Ju!! A amiga Salette! A amiga e escritora Betha Mendes, A Gaby sempre bem maquiada e amiga sonhadora, descobridora e aventureira Pipa!!

A todos meu carinho e gratidão pela companhia agradabilíssima! E desculpa pela demora em responder. Ainda me falta o PC! Digo ainda que leio sempre os coments e isso é muito importante!!

Bjoo