quarta-feira, 14 de julho de 2010

Tributo ao fusquinha 81 (My tops)



O primeiro carro e com ele, a doce lembrança daquele dobrar a esquina (risos). Sim! Lá estava o tão sonhado prêmio, um fusquinha 81! Mal sabia Eu, que ele marcaria tantas coisas em minha vida e que de certa maneira me ensinaria muitas e muitas coisas também. A primeira coisa que aprendi com o fusquinha foi a seguinte: NUNCA COMPRE NADA NO ESCURO (muito importante), mas tudo bem! Quando se é calouro em carros, sempre há margens para erros e nessas horas você acaba comprando um carro Pastel (só massa). E foi assim que comprei meu primeiro "pastel veicular". Um fusquinha branco 81!... Já chegou até mim em “prego” de bateria, como que se tentasse dizer ou demonstrar que aquilo seria uma pequena prova do que veria a acontecer comigo (risos). Um presságio quem sabe. A verdade é que muita coisa aconteceu... O fusquinha venceu uma crise de namoro e foi uma escola para mim! Levou-me para muitos lugares e me permitiu aventuras mil Ajudou algumas pessoas e se mostrou útil nas horas emergenciais. Claro que muitas pessoas (meus pais principalmente) não gostaram do meu investimento "kamikaze", mas fazer o que? Não existe um planejamento rígido mesmo. E as coisas consideradas muitas vezes ilógicas, apresentam lógicas muito complexas..

De certa maneira, o fusca nos marca... Não só pelo cheiro de gasolina que ele deixa na roupa (risos), mas porque é um carro [enigmático]. Uns dizem que ele é pop, porque nos lembra de maneira inconsciente um útero materno. Outros já afirmam que ele era um “Nostradamus veicular", ao salientar a importância das “curvas” nos carros de hoje. Não sei se tais motivos são reais ou imaginários, só sei que aprendi muita coisa com o meu velho fusquinha.

Meu fusca marcou uma fase rica de minha vida! Rica em investimentos nele (risos) e rica em aprendizado e amadurecimento! Dizem que carro é como se fosse um filho, sendo assim o meu fusca foi um avô em fase terminal. O fusca necessita de muitos remédios (risos) e a toda hora deve comparecer no hospital (oficina) para aferir a pressão (limpar o carburador) e pegar remédios na farmácia (outros serviços que sempre surgem), mas de tudo fica saudade agora...

Com meu carro aprendi o quão é Péssimo ficar no prego e ter um monte de gente te xingando (risos). Aprendi que é sempre bom andar com gasolina sobrando e que dependendo do local, o fusca pode sim vir a atolar (fato empiricamente comprovado). Aprendi que quando se tem um fusca, você é sempre “coincidentemente” escolhido para parar em “blitz” e não sei a explicação...

Com o fusquinha a gente se vê obrigado a aprender muito sobre mecânica, afinal a qualquer momento ele “morre” e não tem lugar certo, nem hora pré-determinada para isso acontecer, logo... Sempre se deve ter o kit salva-vidas: alicate e chave de fenda (risos).

Já faz tempo que o fusquinha se foi, mas ficaram boas histórias e aventuras que são próprias dos "fusqueiros de plantão". Fica a lembrança das pessoas que pegaram carona em minha vida e até aquelas que me apoiaram no empurrar do meu velho carro. A verdade é que... Esse fusquinha 81 representou muita coisa para mim e foi uma escola em forma de carro. De todas as lições que tirei com ele... Creio que a mais importante foi que:

Existe momento para investir e momento para largar de mão!

E isso se aplica em todos os aspectos da vida! Têm hora que a ferrugem vem e destrói um namoro, um plano, um sonho, uma meta, uma escolha e etc. E nós temos de ter “sangue frio” para avaliar a condição real da lataria da nossa vida e com isso decidir se: devemos continuar ou prosseguir. Tem hora que a razão tem de vier à tona e nos puxar para a realidade e assim a gente aprende que: terminou. Não dá mais! É partir e seguir adiante e não olhar para trás! Sei que é duro, pois a gente se fixa no investimento que teve, mas há coisas que não tem explicação.

Em um tempo em que todos queremos o carro mais potente e mais rápido, prefiro deixar uma lembrança saudosista do meu primeiro carro... Que mesmo enferrujado, desajeitado, problemático e enigmático, me ensinou muita coisa a respeito da vida e de mim mesmo!

Era fusca, mas era meu...



13 comentários:

Dayane Alencar disse...

parece q o Fusca é mais que um carro, uma lenda...
é um dos meu prediletos! \o/

---

obrigada por me visitar... ^^
bjuh

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Dayane,

Concordo contigo!
Bjaumm

Simplesmente eu... disse...

O primeiro carro deixa sempre grandes recordações.
O meu primeiro carro foi um Fiat 127, branco e permitiu que eu aprendesse realmente a conduzir.

Gostei muito do blog, vou voltar.

Bj de Portugal

Thaty castan disse...

É um clássico...
Nunca dirigi um acredita... mais antes de morrer ainda vou fazer isso.
kkkk

kisses
Thaty

Ana SS disse...

Aprendizados importantes...nada melhor que ter coisas próprias, ainda mais se forem aprendizados!

Pelos caminhos da vida. disse...

O primeiro caroo nunca esquecemos.

beijooo.

Luna Sanchez disse...

Que bacana esse post, tão bem misturadinho de emoções e humor...gostei muito!

Eu nunca tinha pensando em um fusca como no ventre materno. Rs

Dois beijos,

ℓυηα

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

lembrei da música do Taigura " Em qualquer lugar do mundo/ neste instante passa um Fusca/o encontro o outro perde..

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Simplesmente Eu,

Falou tudo... Primeiro carro é como primeiro amor! Nos marca de maneira singualar...
Bjaumm.

Oi Thaty,

Bah guria... Ainda há tempo! Você vai gostar.
Bjoo

Oi Ana,

Concordo com você! Aprendemos a valorizar as coisas, quando elas são fruto de nosso empenho.
Bjoo.

Oi Pelos caminhos,

É verdade... São recordações gostosas...
Bjoo.

Oi Luna,

Eu tow dizendo que você é tartaruguinha (risos). Brincadeira...
bjoo

Oi Ediney Santana,

Vou buscar essa música...
Seja sempre bem vindo!
Abraço

Ana Cecília Moura disse...

Ai, que post simpático. O Fusca tem mesmo essa capacidade de produzir empatia nos outros.

Aline Rojas disse...

Realmente, o primeiro carro é como a primeita vez, difícil de esquecer!!!! Ainda mais se for um fusca, clássico...

Bacana seu blog! Seguindo =D
Bjos

Juliana. disse...

Mais quando vc disse que ele "morre", eu juro que não me aguentei..rsss.."os que pegaram carona e ajudaram a empurrar". Você foi realmente criterioso neste texto, me fez sorrir aos montes!
Um abraço
Juliana

Crônicas do Cotidiano disse...

Oi Ana,

Produz com toda certeza! Rs

Oi Rojas!

Primeiro carro é vício de saudade!

Oi Ju,

Fusca é fusca... Sem coments!
Hehe

Bjaum lindasssss