sexta-feira, 18 de junho de 2010

Cálido ou casto


E então eis que surge a questão:

- Cálido ou Casto? Qual real natureza desse sentimento?

Olhos petrificados... Coração na mão! O que poderia Eu responder?
Fitei a boca trêmula de quem perguntava. Um inquisitora? Uma alma assustada?
Não se sabe... Como não cabe respoder a [natureza] do dito amor!

Se cálido ou casto...

Nunca saberei.
... O meio termo jamais encontrei!

Ficou no ar o peso trágico...
O sabor amargo!
Da resposta que jamais dei!


4 comentários:

Guí disse...

Como diria Inês Pedrosa
"TUDO cabe a essa obsessão de verdades que chamamos amor."

Espero que encontre sua resposta e que ela seja bem abrangente.

Aline d'Able disse...

Linda poesia...

Crônicas do Cotidiano disse...

É uma busca eterna...
Bjkss Gui!!

Crônicas do Cotidiano disse...

Obrigado Aline!
Bjkss