segunda-feira, 14 de junho de 2010

Códigos que não conheço




O pior...
O pior é que não respondes!
Antes gritasse, pois saberia que há sentimento...

O pior aconteceu?
Afinal você se esqueceu de dizer algo
Poderia afirmar que sou antiquado, mas...
Me ignorou e espero o recado

O pior! Eu presumo
Nem ao menos me enviou um e-mail "vagabundo"
Malicioso, indigesto e até com teor de calúnio...
Vou teorizar o [mudo infortúnio]

O pior...
Já nem sei o que dizer
faltam palavras... As mesmas que faltaram para mim
Escritos, hieróglifos, tanto faz, onde está a resposta?
Nas estrelas? Nos códigos que não aprendi na escola?
Caligrafia dos antigos Maias?

O pior que ainda espero
Espero com a chícara ao alcance dos dedos
A prova do desespero de esperar...

Pelo carteiro

2 comentários:

Yeruska Thobila disse...

Meu Deus....senti como se tivesse sido eu quem escreveu essa poesia disfarçada de prosa.... risos...
Muito bom!!!! Cheguei ao seu Blog ao acaso...e puxei a cadeira, sentei, e vou ficar...desculpe a folga..^^

Crônicas do Cotidiano disse...

Opa!! Fica a vontade Yeruska! Vou pegar um café para vocÊ = )